Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Cia. Cubana Yoruba Andabo leva rumba viva de Havana ao Palácio das Artes


As raízes africanas por trás dos “calientes” ritmos cubanos tão aplaudidos e amados na arte do Buena Vista Social Club será mostrada pelo Yoruba Andabo em apresentação na na terça-feira, 3 de agosto de 2010 , às 20h, na Sala Ceschiatti do Palácio das Artes.
A premiada troupe de percussionistas, cantores e dançarinos cubanos aportou na cidade ainda este mês para uma temporada de shows. Trata-se da Yoruba Andabo, Cia Cubana de Dança Folclórica que nasceu no cais do Porto de Havana e, desde 1985, viaja o mundo encantando platéias com o som, o colorido e o gestual extraídos da raiz africana da rumba e de outros ‘calientes’ ritmos cubanos.
O espetáculo ‘Rumba Viva na Havana’, que a companhia Yoruba Andabo traz a Belo Horizonte já se apresentou, com sucesso, no Canadá, França, Suíça, Londres e Colômbia. São 15 artistas em cena e no repertório, em dois atos, eles apresentam El Congo e o Ciclo Yoruba, Abakuá e o chamado “complexo da rumba”, com seus tradicionais ritmos, especialmente o yambu, o guaguancó e a columbia.
A companhia tem sua gênesis no cais do Porto de Havana, em 1961, quando um grupo de trabalhadores reunia-se em festas e eventos artísticos sindicais. Eles deram origem ao Guaguancó Marítimo Portuário, conjunto que, nos anos 80, iniciou sua atividade profissional com o nome Yoruba Andabo.
A partir daí, o Yoruba Andabo exibiu sua arte em eventos da União de Escritores e Artistas de Cuba, trabalhou com a gravadora cubana Egrem por iniciativa do consagrado compositor e cantor cubano Pablo Milanês e dividiu o palco com a cantora folclórica Merceditas Valdés. Atualmente soma mais de vinte discos gravados, muitos deles premiados nacional e internacionalmente.
Em 1992, o disco “El callejón de los rumberos” levou o premio Juno, equivalente canadense do Grammy norte-americano. Em 2001, a Cia conquistou um Grammy compartilhado. Também coleciona nomeações a prêmios da Academia de Música da Espanha (2006) e ao Grammy Latino (2003 e 2006). Sua arte tem sido apreciada por platéias do Canadá, Estados Unidos, Costa Rica, Panamá, Colômbia, México, Espanha e de Genebra, Paris e Londres.

Um comentário:

  1. Olá td bom estou divulgando este documentário, se puder assistir, vale
    a pena. Obrigado

    http://nosolhosdaesperanca.blogspot.com/

    Resenha:

    Jânio é um rapaz de vinte anos que foi preso na orla da praia da Cidade
    de Praia Grande confundido de fazer parte de um grupo de jovens que
    promoveram um arrastão. Mesmo sem provas ficou preso durante 11 meses.
    Leide e Francisco a mãe e o pai de Jânio precisaram lutar para provar a
    inocência do filho, enfrentando a principal dificuldade que esbarra num
    problema social ainda não resolvido no Brasil.

    "Ser pobre é ser culpado até que se prove ao contrário?

    ResponderExcluir