Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Rumo a XXI Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba


A mesa foi composta por representação do Movimento Paulista de Solidariedade - Mercedes, ACJM BA - Barreto, Kiko - ACJM PR e Rafael Hidalgo, representante da Embaixada




A XXI Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba, a ser realizada na cidade de Foz do Iguaçu, em 06 e 07 de junho de 2013, tem como temas centrais de seus debates: A integração solidária Latino-americana e Caribenha e a amizade entre os povos; a luta permanente contra o bloqueio econômico; a libertação dos cinco heróis cubanos, presos injustamente nos Estados Unidos; e o combate à campanha midiática internacional que divulga, de forma deturpada a realidade da sociedade cubana.


 A Reunião do Movimento Nacional de Solidariedade a Cuba, em oito de dezembro do corrente ano, no Consulado Geral de Cuba,contou com a presença dos seguintes estados e organizações: São Paulo, Baixada Santista, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, CEBRAPAZ, representação da Embaixada de Cuba e Consulado Geral de Cuba.   



O diretor-geral da Associação Cultural José Marti de MG, Nelson Dantas, representou o estado na reunião


O representante da embaixada de Cuba no Brasil, Rafael Hidalgo, colocou a importância de aumentarmos a comunicação das entidades, bem como a troca de informações sobre as atividades realizadas. Cuba Hoje será utilizado como um instrumento de divulgação das ações das entidades sendo repassado para as organizações norte- americanas divulgarem.

Também presente à reunião, o  representante do CEBRAPAZ  lembrou a realização de  três importantes atividades em 2013, sendo que duas ocorrem em Cuba, uma de 24 a 26 de janeiro que visa discutir a questão da Sustentabilidade e a outra que ocorrerá em novembro de 2013, será uma Conferência sobre Guantánamo, organizado pelo Movimento Cubano pela Paz, coordenado por Silvio Plateo.  Outra  atividade será a Conferência de Santo Domingo, Republica Dominicana,  referida pelo representante da Bahia, Barreto, em abril de 2013, promovida pela  Organização Mundial pela Paz.

Nelson Dantas, da ACJM MG refletiu sobre a dificuldade da realização do trabalho em função do esvaziamento do período eleitoral, mas ressaltou o trabalho de ampliação, com aproximação a partidos, sindicatos e movimento social.  Na avaliação de Dantas, a Convenção na Bahia foi um sucesso pela participação popular e as temáticas debatidas. Vê a possibilidade de dar visibilidade em outros temas correlatos como ecologia, arquitetura de Niemayer, entre outros. A participação de Tiago de Melo foi para deixar todos emocionados. Colocou que a cada dia 5 de cada mês a entidade vai, com dificuldade, para praça 7, no centro de Belo Horizonte, para a divulgação da luta pela Libertação dos 5.  Ele relatou que  hoje a Associação encontra-se em dificuldade de arrecadação de recursos, pois o Sindicato que fazia uma contribuição deixou de fazê-lo com a troca de sua diretoria. Também enfatizou a  necessidade de qualificar os brigadistas, com a confecção de uma cartilha. Informou o falecimento recente de ex- deputado federal e um dos fundadores da ACJM- MG, Sérgio Miranda,  que participou de debate com o Embaixador na última convenção estadual.

Proposta para a  XXI Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba
 


A palavra foi dada ao Prof. Kiko que fez uma breve introdução, e enfatizou que a escolha do local da próxima convenção nacional de solidariedade a Cuba em FOZ DO IGUAÇU  foi proposital porque a tríplice fronteira tem uma implicação política forte, com forte apelo pela integração.
O evento trará também, intervenções e apresentações artístico-culturais e educacionais brasileiras e cubanas, com o objetivo de promover o intercâmbio cultural entre os dois países em luta permanente pela independência, soberania e luta pela paz mundial, na cidade da tríplice fronteira.
Outro intercâmbio importante, que também norteará as discussões da Convenção, serão as experiências econômicas entre Brasil e Cuba, já que a cooperação brasileira com Cuba é favorável aos dois países. Havana e Brasília mantêm relações diplomáticas desde 1943 – interrompidas em 1964 e restabelecidas 22 anos depois – com laços que se fortaleceram a partir da chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao governo, uma tendência que permanece com a atual gestão. O Brasil é hoje o segundo maior parceiro comercial de Cuba na América Latina, depois apenas da Venezuela


Fonte- Relatório da Associação Cultural José Marti RS



Nenhum comentário:

Postar um comentário