Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Dilma pede o fim da prisão norte americana de Guantánamo

Momento histórico na relação Brasil e Cuba


Dilma afirmou nesta terça-feira,31 de janeiro de 2012, pela manhã que visitaria Fidel Castro, 85 anos."Espero essa reunião com muito orgulho", disse Dilma aos jornalistas.
Ela também se posicionou em relação a questão dos direitos humanos :"não se pode tratar de direitos humanos como ferramenta para criticar apenas certos países".Citou como exemplo as violações denunciadas na base americana de Guantánamo

O último encontro de Fidel com um governante estrangeiro ocorreu em 11 de janeiro, quando recebeu o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad. Fidel dedica seu tempo a cuidar da saúde, a escrever artigos de imprensa e cultivar moringa (uma árvore tropical)informou o Portal IG.

A presidenta Dilma Rousseff desembarcou no fim da tarde de segunda-feira, em Havana, Cuba, para sua primeira visita de Estado à ilha caribenha.

Acompanhada dos ministros da Saúde, Alexandre Padilha, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, e do chanceler Antonio Patriota, titular das Relações Exteriores.

A viagem, que se estenderá até a manhã de quarta-feira, ocorre uma semana após a liberação da última parcela do empréstimo brasileiro de US$ 682,15 milhões à ampliação do porto cubano de Mariel, a 40 km de Havana.Executada pela empresa brasileira Odebrecht e prevista para terminar em janeiro de 2013, a obra inclui uma "zona especial de desenvolvimento", que abrigará indústrias voltadas à exportação e ao mercado cubano.

A Odebrechet também deverá produzir açucar em Cuba, que em princípio firmará um contrato para administrar uma central açucareira na Província de Cienfuegos, conforme informação da agência Reuters.
O contrato será firmado com a estatal Grupo de Administração Empresarial do Açucar, em setembro próximo,por um período de 10 anos, e tem como objetivo incrementar a produção de açucar e a capacidade de moenda,além de ajudar a revitalização da indústria açucareira em Cuba. O contrato deverá se assinada ainda esta semana, aproveitando a visita da presidenta Dilma ao país.
Empresas privadas de outros países tentam há anos entrar no setor açucareiro cubano, e com a restruturação do setor, no final de 2011, e a substituição do histórico Ministério do Açucar (MINAZ) pelo grupo empresarial estatal Grupo de Administração Empresarial do Açucar (AZCUBA), a perspectiva é Cuba também produzir o etanol, segundo informou a Reuters.
A Odebrecht é atualmente um dos principais produtores de etanol no Brasil por meio da ETH, e em Cuba executa obras de 800 milhões de dólares para modernizar o porto de Mariel, em Havana. A ampliação do porto de Mariel abrirá oportunidades de negócios para empresas brasileiras interessadas em se instalar ou expandir as operações na América Central.

E, caso os Estados Unidos suspendam o Bloqueio econômico à ilha, as empresas instaladas no porto terão acesso privilegiado a um dos maiores mercados globais, uma vez que Mariel está a apenas 160 km do Estado americano da Flórida.
Dilma deve tratar ainda de uma iniciativa conjunta para a produção de medicamentos, valendo-se do expertise cubano no setor farmacêutico. Se houver acordo, a indústria também poderia se localizar no porto de Mariel.

O governo brasileiro também poderá negociar a ampliação do envio de médicos cubanos ao Brasil, para apoiar o atendimento no Serviço Único de Saúde (SUS).

Fonte: várias

Nenhum comentário:

Postar um comentário