Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 20 de maio de 2012

A Solidariedade como valor

Na abertura da Convenção Mineira de Solidariedade a Cuba, o sentido da solidariedade e a cultura de resistência. A seguir publicamos na íntegra a intervenção da prof. Maria José Silva, um testemunho da luta pela solidariedade a Cuba e pela integração da América Latina em Minas Gerais

Hoje dia 19 de maio, estamos aqui reunidos, em preparação para a XX Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba, que se realizará, na Bahia – 24 a 27 de maio. A escolha desta data, pelos nossos amigos e amigas de Minas Gerais, tem como referência a morte de José Martí .

Hoje completa 117 anos, que no campo de batalha, em Dos Rios, com um tiro no coração, caía Martí, o homem sincero, luz e verdade de Nossa América.

Deixou como legado a sua obra escrita, hoje compilada em 27 volumes e a sua sorte com os pobres da terra na luta pela a independência de Cuba, afim de impedir o expansionismo dos Estados Unidos em Nossa América, que ele considerava do Rio Bravo a Patagônia, uma terra de rebeldes e creadores.

Ele escreveu em suas obras:

“A liberdade custa muito caro e temos ou de nos resignarmos a viver sem ela ou de nos decidirmos a pagar o seu preço.” José Martí decidiu não se resignar.

A ACJosé Martí – MG, fundada em 1986, pela rebelde e creadora, D. Helena Greco, já comemorou seus 25 anos de amizade e solidariedade com Cuba, na difícil tarefa do trabalho voluntário.

Mas o que é a solidariedade ? Esta força voluntária que aproxima as pessoas ? José Martí escreveu em 1884, uma proposta pedagógica através do texto “ Maestros Ambulantes”, que destaca a importância da solidariedade , do conhecimento e da prosperidade . “Ser bom é o único modo de ser feliz ! Ser culto é o único modo de ser livre!

Mas , no comum da natureza humana, se necessita ser próspero para ser bom.

Aplicando o princípio da solidariedade e do conhecimento, no processo revolucionário cubano, Fidel, a juventude e os maestros ambulantes de 1961 , escreveram a mais bela página da educação de Nossa a América : A erradicação do analfabetismo em Cuba.

E a prosperidade? Como conquistá-la? Principalmente em Cuba com o bloqueio econômico há mais de 50 Anos? Na América Latina , por mais de 500 Anos, a riqueza da natureza foi apropriada pelos exploradores e governos corruptos e desumanos, através das guerras, violência e muita dor, numa competição que deixou um mundo desiquilibrado e ameaçado por tantas insanidades, contra a natureza e os seres humanos. Como reverter a barbárie e promover a justiça, para todos, no mundo?

A solidariedade é um fato social e ninguém pode ser solidário sozinho.

A solidariedade não é dada por antecipação, ela é obtida a custa de muitas lutas individuais e sociais.

Pessoalmente me identifiquei com estas lutas individuais e sociais desde 1964, quando a ditadura militar se instalou no Brasil . Meu coração de estudante e de professora, de um bairro operário de BH, sofreu muito com a ruptura do processo democrático, do meu trabalho educacional e de uma vida em família, me deixando com a solidão e com a mordaça do silêncio da história.

Não pude deixar de me emocionar, nesta semana, quando a presidenta Dilma Rousseff, na instalação da Comissão da verdade e da lei de acesso a informação afirmou que : “A ignorância sobre a história não pacifica, pelo contrário, mantêm latentes mágoas e rancores. A desinformação não ajuda apaziguar, apenas facilita o trânsito da intolerância. A sombra e a mentira não são capazes de promover a concórdia. O Brasil merece a verdade. As novas gerações merecem a verdade, e, sobretudo, merecem a verdade factual aqueles que perderam amigos e parentes e que continuam sofrendo como se eles morressem de novo e sempre a cada dia”.

Quero encerrar minha fala com o meu agradecimento sincero e eterno a memória de D. Helena Greco, por sua luta pelos direitos humanos e a todos os amigos da solidariedade, brasileiros e cubanos, que durante estes últimos 25 anos, através ACJM-MG e de outros movimentos de trabalho voluntário, mantiveram vivos os ideais da luta pela solidariedade, conhecimento e prosperidade, princípios martianos , que sem dúvida sinalizam a conquista da felicidade

“Com todos e para o bem de todos” Viva JOSÉ MARTÍ E O EQUILÍ[IBRIO DO MUNDO! Viva Cuba! Viva Brasil ! Viva a integração de NOSSA AMÉRICA!

Belo Horizonte, 19 de Maio de 2012 - 117 Anos da morte de José Martí Maria José da Silva - Projeto Nossa América

Um comentário:

  1. hola...tenho uma amiga que gostaria de se sproximar da associação. O email dela é anatex10@yahoo.com.br

    ResponderExcluir