Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Homenagem à D. Helena Greco


Será nesta terça-feira,02 de agosto, às 20 horas, na Igreja São José, centro de BH.

HELENA GRECO- UMA HOMENAGEM SINCERA/ Maria José



Helena Greco
(Abaeté, 15 de junho de 1916 - Belo Horizonte, 27 de julho de 2011)

D.Helena Greco, hoje mais do que nunca, sentimos a sua presença, pois a nossa saudade a traz de volta e não morre quem nos outros vive! Sua luta por liberdade e anistia dos presos políticos, nos anos de chumbo da ditadura militar de 1964,faz parte da história de muitos sobreviventes da repressão e dos militantes que se uniram pela causa da liberdade, dos direitos humanos e cidadania.

Representante do Movimento Tortura Nunca Mais de Minas Gerais, D.Helena foi uma das fundadoras do Partido dos Trabalhadores, exercendo dois mandatos pela legenda, na Câmara Municipal de Belo Horizonte (1983-1988 e 1989-1992), sendo uma referência para a inclusão da mulher nos quadrospolíticos do país.

Ela costumava dizer que a cidadania depende diretamente da nossa capacidade de indignação. Sua frase predileta era: “Indignação só se concretiza a partir do exercício permanente da perplexidade”. Defendeu a construção do socialismo como forma de combater a barbárie vivida em nossa sociedade capitalista, onde a violênciasobrepõe os direitos e as necessidades humanas.
D. Helena foi idealizadora e fundadora de várias outras entidades, como a Coordenadoria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de Belo Horizonte, o Conselho Municipal da Mulher, o Fórum Permanente de Luta pelos Direitos Humanos de Belo Horizonte, o Grupo Contra o Trabalho Infantil.


D . Helena e a1a Diretoria daA.C. José Martí – MG - Outubro de1986

Coube também a D. Helena a fundação e o cargo de 1a Presidente da Associação Cultural José Martí- MG, com os objetivos de estreitaros laços de amizade e solidariedade com o povo cubano, estabelecer o reatamento das relações diplomáticas entre Brasil e Cuba , rompidas pela ditadura militarde 1964, e promover o intercâmbio cultural, defendendo os interesses comuns dos dois países.

Em 1987, D. Helena voou até Havana para assinar o Convênio de Intercâmbio com o Instituto Cubano de Amizade com os Povos, oficializando assim a amizade e a solidariedades de Minas Gerais com Cuba. Apesar de todas as dificuldades de um trabalho voluntário, militantes comprometidos com a integração latino-americana e a luta de Cuba, frente ao bloqueio norte americano de mais de 50 anos, resistiram bravamente e hoje rendem a mais sincera homenagemà D. Helena Greco, quando a entidade comemora 25 Anos , resgatando as suas palavras no ICAP, naquele momento histórico:

“Companheiro GuillenZelaya,
Companheiro LuisMorejón,
Companheira Sara Smith,
Sr. Embaixador, Deputados , Companheiros e Companheiras:
É com grande alegria e emoçãoque, representando a Associação Cultural José Martí de Minas Gerais, estamos aqui presentes para firmar o convênio de intercâmbio e colaboração com o Instituto Cubano de Amizade com os Povos.
Este ato significa para nós uma consolidação e um avanço de esforços de estreitamento dos laços de amizade entre o povo brasileiro e o povo cubano, povos irmãos que têm tanta coisa em comum, desde as raízes culturais até o itinerário histórico: nós, brasileiros e cubanos, sofremos a exploração colonial das potências europeias, o horror da escravidão, a opressão do imperialismo.
Os companheiros cubanos já romperam os grilhões do capitalismo e estão construindo valorosamente uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna, num processo maravilhoso quese constitui exemplo para todos os povos.
O povo brasileiro ainda está buscando o seu caminho, prosseguindo naluta pela soberania e bem - estar da população; o exemplo dos irmãos cubanos é sempre uma referência para nós.
Foram mais de vinte anos de separação forçada entre estes dois povos irmãos. Na tentativa de compensar e recuperar todo este tempo, foram organizadas as Associações Culturais José Martí e Brasil - Cuba em todo o Brasil.
A nossa Associação Cultural José Martí- MG completa agora um ano. Consideramos, portanto, a assinatura deste convênio como uma comemoração do nosso 1o Aniversário e também como um reconhecimento de trabalho de todas as associações brasileiras amigas de Cuba.
Finalmente, gostaríamos de agradecer o carinho e a atenção com que os companheiros do ICAP nos acolheram: pela simpatia, gentileza e espírito fraternal de todos; e pelo contato direto que nos proporcionaramcom esta sociedade que tem sido a tanto tempo paranós referência de dignidade e combatividade.
Esperamos receber os companheiros do Brasil da mesma forma.
Muito obrigada a todos !
Temos certeza que, daqui para frente, a amizade, o companheirismo e a solidariedade entre brasileiros e cubanos crescerão e fortalecerão cada vez mais.”


Helena Greco - Instituto Cubano de Amizade comos Povos – 30 de outubro de 1987


Fonte: Projeto Nossa América- Profª Mª José

Nenhum comentário:

Postar um comentário